Podcast: Novo episódio - As possibilidades e caminhos do UX Design no Mercado Nacional

ArteBlogStreet Art

O breakdance dentro do movimento hip-hop

Imagem por Hebi B. postado em Pixabay

“Breakdance” é um dos componentes dos estilos de dança de rua que fazem parte do hip-hop

O breakdance surgiu como uma expressão artística, uma dança desenvolvida dentro do movimento cultural que abriu portas para periferia: o hip-hop, composto pelas danças de rua, DJ’s, MC’s e grafite. As primeiras manifestações de breaking foram realizadas aproximadamente na crise de 1929 dos EUA, quando os dançarinos e artistas dos bares e cabarés ficaram desempregados, situação que os forçou a fazerem shows nas ruas. Foi criado por latinos e afro-americanos.

Uma curiosidade que muitos não sabem: o termo breakdance é de certa maneira incorreto¹ de utilizar para falar sobre. Pode-se citar como as principais vertentes da dança, o breaking ou b-boying, locking, popping e as social dances. 

¹ ‘Breakdance’ em si não está errado, é considerado um termo comercial, uma vez que foi a mídia que o popularizou. Alguns participantes do movimento não usam ‘breakdance’ em seu vocabulário como maneira de resistir a comercialização do movimento hip-hop.

breakingImagem por Chris U. postado em Pixabay

Impacto

As músicas tocadas nas rodas de breaking variam entre funk, breakbeat e o rap. Popularizou-se na década de 70, apesar de especialistas apontarem indícios sobre esse movimento até mesmo antes. James Brown, pai do soul, foi uma das principais influências do hip-hop na época e continua atualmente, marcando gerações com a sua dança “good foot”. É datado que nesse período, o surgimento de gangues e brigas armadas causou muito alvoroço nas ruas da periferia, marcando por toda a história regiões nas quais conflitos do tipo ocorreram, como o famoso bairro Brooklyn, localizado na cidade de Nova Iorque, nos EUA. O pai do soul foi a inspiração de muitas vertentes do breakdance, tendo seu “good foot” considerado como a semente do break. A partir dessa semente, o top rocking e brooklyn-rock ou up-rock apareceram para homenagear esse estilo de dança tão único e marcante.

Divisão ou união?

Os grupos que participam dos concursos de breaking se denominam como “crew”, algo semelhante à “equipe” mas de maneira coloquial, como gíria para os brasileiros. No momento em que o hip-hop ascendeu, essas “crews” seriam equivalentes às gangues, de modo em que as competições de break eram realizadas também entre rivais, como uma forma de lutar sem envolver violência. Muitos dos responsáveis pela disseminação do movimento apoiavam discursos a favor da paz, pois enxergavam a realidade da favela e não desejavam que os moradores entre si alimentassem ainda mais essa violência presente nos bairros pobres. Esse tipo de pensamento é difundido até os dias atuais, principalmente por aqueles que possuem mais consciência da realidade que os cerca, fomentando ainda mais a importância da inclusão do hip-hop dentro das regiões mais precárias.

breakdance'Imagem por Andy Plotzky postado em Pixabay

Tipos de movimentos dentro do breaking e suas vertentes

O breakdance é caracterizado por movimentos provindos de lutas marciais, como o Kung-Fu, uma vez que sua performance antigamente era relacionada com a imposição de poder e conquista de território por uma determinada gangue. O intuito, assim como aconteceu na capoeira, era de treinar os movimentos e golpes e ao mesmo tempo se expressar através de uma dança regada com passos capazes de “quebrar os ossos”. As coreografias eram difíceis e arriscadas mesmo para os dançarinos de rua, que em sua maioria quebravam muitas partes do corpo para conseguir dominar as técnicas estruturadas. A arte abaixo representa um power move, conhecido como head spin ou giro de cabeça.

breakdanceImagem por Dean Lewis postado em Pixabay

Top Rocking e Up Rocking de NY, Locking e Popping de CA

Top Rocking surgiu no Bronx, a partir da inspiração do “good foot”. É um passo que usa qualquer tipo de provocação vista em filmes, TV, etc. Preferiam provocar a brigar através da dança. Ao mesmo tempo, o Up Rocking surgia a partir de influências do soul, do funk music, jazz e de ritmos latinos, como uma espécie de modernização e unificação das danças, combinando ataques e defesas simultâneas feitas por mais de um dançarino. Era praticado em sua maioria por adolescentes que buscavam imitar ou melhorar os passos dos mais velhos e foi desenvolvido no Brooklyn.

Notando o destaque que o Brooklyn Rock fez, surgiram no Bronx, crews especializadas em competir com os passos do Brooklyn. A partir dessas equipes, criaram o Floor Rock ou Footwork, que consiste em praticar o Top Rocking com as mãos e os pés no chão em movimentos circulares, acompanhando o ritmo da música. O término desse movimento se chama freeze. Como as Block Parties aconteciam majoritariamente no Bronx, com o DJ Kool Herc, no fim os passos se unificaram e começaram a ser chamados de B-boying. 

Locking nasceu no final dos anos 60 ou início dos anos 70, em LA, foi criado por Don Campbell que em 1972 formou o grupo The Lockers, o primeiro grupo de street dance profissional na história. Claramente é possível ver influência do funk music, com elementos acrescentados como o uso dos cotovelos, mãos e dedos. Os The Lockers fizeram shows com Frank Sinastra, James Brown e outros artistas.

Popping surgiu na Califórnia também, mas em Fresno, e foi criado por Boogaloo Sam, que mais tarde formou o grupo Eletric Boogaloo. O popping é a evolução da dança robot. Apesar dos movimentos dessa dança antiga serem frios, no popping nota-se totalmente o contrário: movimentos expressivos, cheios de energia, que usam ilusão, mímica, desenhos animados e dança indiana, além do próprio boogaloo do Rei Brown, que se resume em fazer movimentos de onda com o corpo.

Confira como realizar um head spin  (não tente sozinho em casa, pelo amor de Brown, procure um professor de hip-hop!)

 

Related posts
ArteBlogFotografia

Grandes Artistas #3 - Sebastião Salgado

ArteBlogFotografia

Você sabe oque é fotografia Fine Art?

BlogDesignFilmes

4# Filmes que todo designer deveria ver - Logorama

BlogDesign

Branding, identidade visual e arquétipos

Se inscreva em nossa Newsletter